sábado, 25 de fevereiro de 2017

Joba Tridente: Articulando o Reciclável - Contrapartida - 5

Articulando o Reciclável
orientador Joba Tridente

O Projeto Articulando o Reciclável foi criado em 2014/2015 com o propósito de oferecer ao público infantojuvenil alternativas para a criação de Arte Sustentável de qualidade, através de Oficinas Lúdicas de Reciclagem (incluindo literatura). Inscrito em Projetos de Leis de Incentivo, foi aprovado em 2016 pelo PROFICE, da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná*.

Nos dois anos em que passou “hibernando”, evoluiu, agregou novas ideias e agora, numa vivência muito além dos cursos tradicionais de arte, propõe aos oficinandos, inclusive adultos, não apenas criar, mas questionar os limites e as linguagens da Arte.

Articulando o Reciclável
Centro Psiquiátrico Metropolitano de Curitiba
Oficina em Contrapartida - 5

Em Contrapartida ao meu Projeto Articulando o Reciclável, sigo realizando Oficinas de Arte Lúdica e Literatura Sustentável para profissionais da área de saúde do Hospital de Clínicas de Curitiba e para pacientes e profissionais da área de saúde do Centro Psiquiátrico Metropolitano de Curitiba. Estou no aguardo de material sobre o CPM (onde já realizei doze, das dezesseis Oficinas de Arte e de Literatura Sustentável programadas) e sobre do trabalho dos dedicados Psicólogos, Terapeutas, Pedagogos, Enfermeiros, para futura postagem.

Letícia 


Aqui, no Articulando o Reciclável, já publiquei duas seleções de poemas e textos poéticos que adolescentes (12 a 17 anos) produziram no primeiro dia de atividade na Oficina de Poesia Aleatória - Reciclando a Palavra Jogada Fora, no Centro Psiquiátrico, utilizando o meu Banco de Palavras e que você pode conferir aqui: Contrapartida 3 e aqui: Contrapartida 4.

Daniele P.

Lucas

Núbia

No encontro do dia 12 de fevereiro 2017, os adolescentes mais ativos começaram a tarefa de recorte de palavras, frases, sinais de pontuação para formar o seu próprio Banco de Palavras. Nesse dia, Caio, um jovem que não havia participado da atividade anterior, recortou textos e logo compôs um interessante poema (publicado em Contrapartida 4). Todo o material recortado pelo grupo foi etiquetado e guardado para a criação livre na aula seguinte.

Mikael 


Nos dois períodos (manhã e tarde) do dia 19 de fevereiro de 2017, os adolescentes recuperaram seus recortes e produziram alguns textos poéticos e ou com intenções poéticas. Como varia o número e a presença de adolescentes a cada dia e período da semana, sempre foi preciso explicar o processo aos recém-chegados. Aqueles incapazes de identificar letras e ou palavras foram ajudados, no recorte e montagem de textos, ao menos para compreenderem a atividade e assim se sentirem incluídos.

Soleny 

Yuri

Guilherme desconstruiu e conectou textos curtos e longos numa divertida e saborosa narrativa. Depois, abrilhantou a sobremesa com miudezas.

Guilherme


A surpresa do terceiro encontro ficou por conta de Cris, a única do grupo que fez a tarefa de casa: recortar palavras! Assim que cheguei, ela se aproximou com um saco plástico cheio de recortes (palavras, frases, sinais de pontuação) e dizendo que quando gosta de alguma atividade se empenha muito para aprender. Foi a que mais produziu, já que o seu Banco de Palavras, incluindo o material trazido de casa, era bem maior e mais sortido que o dos outros oficinandos.

Cris  




Na sua última criação, Cris não abriu mão da palavra/nome “Jorge”, que eu e o pedagogo e terapeuta João Carlos não conseguimos descobrir de quem se trata. Como mal se conseguia ler “Jorge” na publicação, por conta da cor escura (fundo e letras) e dos poucos recursos da minha máquina fotográfica doméstica, a alternativa era que, caso não conseguisse melhorar a imagem, eu publicaria uma variação que ela aprovou..., mas não gostou muito. Eis a poesia com e sem “Jorge” abaixo:



Em cada lugar onde oriento a Oficina de Poesia Aleatória, o público oficinando se manifesta de uma forma peculiar, que varia conforme a formação profissional, religiosa, político-social. No Centro Psiquiátrico Metropolitano, o jovem Moisés foi um dos adolescentes que me chamou a atenção pela constância e pela sua desconcertante visão crítica, que pode ser conferida na excelência gráfica da postagem anterior e no texto abaixo. Ao garoto silencioso, introspectivo, perguntei de onde vinha esse seu senso crítico (sócio-político). Ele não soube me responder..., apenas garantiu que não vinha da escola, da família e ou sequer da televisão.

Moisés 

Assim como Moisés, há outros bons talentos atendidos no CPM, que podem render muito (psicologicamente e literariamente) se incentivados e bem orientados. As minhas Oficinas de Brinquedos e Bonecos Lúdicos e de Poesia Aleatória se encerram nos próximos dias 6 e 7 de março, e acredito que os profissionais da saúde saberão dar continuidade a este Projeto Poético capaz de desvelar a poesia mais oculta em cada um de nós.

No primeiro dia de atividade algumas curiosas frases foram escritas e fotografadas, mas, infelizmente, não identificadas:




  
Nota: Os jovens não podem ser fotografados, por isso o registro apenas das suas composições poéticas. Nos créditos apenas o prenome ou pseudônimo.

A Poesia Aleatória - Reciclando a Palavra Jogada Fora ativa a memória visual e a coordenação motora; estimula a agilidade e a organização poético-espacial; desenvolve o raciocínio, a concentração e a criatividade das pessoas dispersas; auxilia na ampliação do vocabulário e é eficiente da pré-educação à pós-graduação.


Articulando O Reciclável

*O Projeto Articulando o Reciclável, aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura - PROFICE, da Secretaria de Estado da Cultura do Governo do Estado do Paraná, e que conta com o apoio integral da COPEL, será realizado de março a junho de 2017, no Centro Juvenil de Artes Plásticas - CJAP (Rua Mateus Leme 56 - Centro - Curitiba-PR. Tel: 41.3323.5643 ou 41.3223.3805), e nos meses de março e abril, no setor infantojuvenil da Biblioteca Pública do Paraná. Conheça o Projeto Original.


Joba Tridente é artista gráfico e artista plástico, escritor de verso e prosa, crítico de cinema e cineasta, fazedor de brinquedos e criador de bonecos articulados, oficineiro cultural, há 22 anos. Produz Arte Sustentável desde os anos 1980. Currículo completo AQUI.